Confederação Sul-americana
Esportes universitários
Confederação Sul-americana
Esportes universitários

"LUDIS IUNGIT (ESPORTE UNE)"

"ESTRELAS HOJE, LÍDERES AMANHA"

Contacto

Jogos Paralímpicos Universitários 2017: a convocação louvável e muito humana da CBDU

31-07-2017

O primeiro dia de disputas pelos Jogos Paralímpicos Universitários 2017 trouxe à piscina do Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, atletas do alto rendimento e detentores de participações em grandes eventos esportivos. Um deles é o estudante Ronystony Silva, bicampeão Mundial, com duas Paralimpíadas no currículo e ainda várias medalhas em Parapan-Americanos. E no Universitário não foi diferente. Rony terminou a sexta-feira com o ouro nos 100m livre e a promessa de mais uma medalha para o sábado, na disputa dos 50m costa.

“Esta é a minha primeira participação em uma competição universitária, um acontecimento importante que servirá de teste para a disputa do Nacional Paralímpico, valendo índice para o Mundial”, pontuou o estudante da UniSantanna, de São Paulo.

Estudante de Educação Física, Rony pretende utilizar o conhecimento adquirido na universidade para dar continuidade aos treinamentos do alto rendimento e também aplicar as técnicas junto a outros nadadores. O atleta começou a competir em 2008, após sofrer um acidente de bicicleta que ocasionou uma lesão em sua coluna cervical. “Tive que trocar o osso que foi esmagado e colocar uma placa de titânio. Foi uma queda boba que se tornou complicada, mas desde então sigo sempre em frente, olhando o horizonte. Nunca olho para trás”. Hoje, ele compete pela Seleção Brasileira e mira no Parapan de 2019 e nos Jogos de Tóquio 2020.

Uma atleta, dois esportes

Jaqueline Gonçalves de Oliveira ao centro, durante a premiação da natação.

A aluna-atleta Jaqueline Gonçalves de Oliveira, da Faculdade do Clube Náutico Mogiano, de Mogi das Cruzes, SP, participa pela segunda vez dos Jogos Paralímpicos Universitários e chega com o gás de quem quer levar muitas medalhas. Disputando as modalidades de natação e atletismo, ao final do sábado ela já contava com o ouro dos 100m livres na piscina. “Eu treinei natação por oito anos e agora eu estou mais voltada para o atletismo, com treinos diários na minha faculdade, além da academia”, elencou a estudante de Educação Física.

Jaqueline, que possui paralisia cerebral congênita, destaca a importância da competição paralímpica voltada ao universitário. “Foi uma novidade, porque nunca teve no Brasil uma competição do paradesporto. O evento está sendo ótimo, com uma boa estrutura e atendimento”.

Os Jogos Paralímpicos Universitários são uma realização da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU) e do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), e contam com a participação de 200 atletas, de 21 estados, nas modalidades bocha, judô, tênis de mesa, atletismo, natação e parabadminton.

Apresentações de dança encerram os Jogos Paralímpicos Universitários. Cerimônia de encerramento foi realizada no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo

Um casal sentado no chão do palco inicia a apresentação, com movimentos rápidos de braço, em um sincronismo que prende a atenção de todos os presentes. Na sequência, o cavalheiro levanta a dama e a coloca na cadeira de rodas, e os dois seguem o compasso da música e os passos certeiros da dança de salão. Assim deu-se início à cerimônia de encerramento dos Jogos Paralímpicos Universitários, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, na noite deste sábado, 29.

Após os vários aplausos dos que acompanhavam o início do ato, o presidente da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), Luciano Cabral, falou para os atletas, e agradeceu a presença de todos que participaram da competição. “Nossa missão é fomentar o esporte universitário, e vocês, os atletas, são os protagonistas deste evento, fizeram história aqui. A partir do que vivemos esta semana daremos continuidade à parceria com o Comitê Paralímpico Brasileiro para a promoção das próximas edições destes Jogos e de outras competições do paradesporto, preenchendo um débito que tínhamos com os universitários com deficiência”.

Na sequência, foram reveladas as Instituições de Ensino Superior campeãs na classificação geral, no masculino e feminino. Confira quem levou o troféu:

Feminino:

1° lugar – Faculdade do Clube Náutico Mogiano – SP

2° lugar – UFPR-PR

3° lugar – UNOPAR

Masculino:

1° lugar – Fundação de Ensino Superior de Bragança Paulista – SP

2° lugar – Estácio de Sá – RJ

3° lugar – Max Planck – SP

A vice-presidente do CPB, Naíse Pedrosa, encerrou a cerimônia, destacando o sucesso da edição 2017 dos Jogos Paralímpicos Universitários que, com a parceria junto à CBDU, mais que dobrou o número de inscritos. “Nossa parceria com a CBDU é um caminho sem volta, uma parceria que vem para inovar e fazer história, um exemplo para todo o mundo”, pontuou.

Texto www.cbdu.org.br

Fotos Alexandre Urch/CPB/MPIX e CBDU

Confederación Sudamericana
Universitaria de Deportes
Santiago, Chile
Av. Paseo Bulnes 80, Oficina 88
E-Mail: info@cosud.org